fbpx

Parceria r7.com

Os setores de entretenimento, hospedagem e turismo, e outros setores que indiretamente dependem desses, no mundo inteiro, sofreram grandes perdas financeiras decorrentes da pandemia da Covid-19. A consequência foi que muitas empresas registraram prejuízos históricos e ainda continuam sofrendo graves consequências econômicas, sendo que algumas até encerraram suas atividades.

Aqui no Brasil, com potencial para minimizar esses impactos negativos, no dia 24 de agosto de 2020 entrou em vigor a lei 14.046, que regulamenta o adiamento e cancelamento dos serviços, de reservas e de eventos dos setores do turismo e cultura durante o período de calamidade pública.

Na busca do aquecimento financeiro desses setores, diversas medidas e vários protocolos de segurança estão sendo adotados, como é o caso da criação do selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”. Criado pelo Ministério do Turismo, o selo visa estabelecer medidas protetivas e específicas para os diversos estabelecimentos, de forma a elevar a credibilidade e a segurança sanitária na retomada do turismo no Brasil.

Recentemente, com o intuito de preservar os passageiros e a tripulação, conceituada companhia aérea internacional anunciou que, além do uso obrigatório de máscaras durante os voos, está utilizando spray de longa duração no combate ao novo coronavírus nas cabines das aeronaves, com eficiência de 99,9% contra os vírus. 

O Seguro Viagem

Nesse cenário, em linha com todas as medidas e maior preocupação com os imprevistos nas viagens, pelos diversos motivos, o seguro viagem ganhou destaque. Isso está ocorrendo tanto em relação à procura, para conhecer melhor condições e coberturas, como também na sua contratação, principalmente nos trechos dentro do território nacional, motivada pelas restrições sanitárias impostas por diversos países.

Historicamente, a maioria das pessoas contratam o seguro viagem somente em viagens internacionais e para destinos que exigem a apresentação do certificado desse tipo de seguro para a imigração naquele país. 

No passado, quando iniciou a oferta de seguro viagem no Brasil, as melhores propostas eram de empresas internacionais, por conta da ausência de planos abrangentes e custos competitivos no mercado brasileiro, que por conta da dificuldade na contratação e comunicação, foi pouco disseminado e explorado no país. 

Atualmente, o seguro viagem é oferecido por importantes e conceituadas empresas nacionais e internacionais, o que ampliou a oferta, a abrangência territorial e o limite das coberturas, com custos reduzidos e cada vez mais competitivos.

Coberturas e serviços

As coberturas e serviços do seguro viagem são amplas e muito importantes durante as viagens, sendo que alguns planos com abrangência internacional cobrem até 20 tipos de eventos. 

Os imprevistos de maior custo são as urgências e as emergências médicas decorrentes de acidentes ou mal súbito. Por isso, é sempre muito importante contar com a assessoria de profissionais que dominem o assunto e tenham discernimento para esclarecer com detalhes todos os limites e a abrangência das coberturas. 

Além dos serviços de concierge e de vídeo chamadas para assistência médica à distância, as demais garantias do seguro viagem compreendem o ressarcimento de despesas ou prestação de serviços com: medicamentos, hospedagem, retorno ou prorrogação da viagem de acompanhantes e do próprio segurado, despesas jurídicas e legais, rastreamento das bagagens, cancelamento e interrupção da viagem, além dos seguros de acidentes pessoais e de vida. 

Por isso, saber exatamente o que está coberto evita gastos imprevistos que podem ser altíssimos. Como exemplo, uma cirurgia de apendicectomia de urgência, no exterior, tem custo médio de R$ 125 mil.

Detalhes da contratação

Geralmente, os custos do seguro viagem variam de acordo com tempo, nível de cobertura e destino da viagem, divididos em Plano Nacional, Plano Europa, Plano América, Demais Continentes, Intercâmbios e Planos de Longa Duração. Dependendo do nível do plano a ser contratado, os limites de idade variam de 69 a 90 anos e a boa notícia é que, após a escolha do plano ideal, todo o processo de contratação e emissão dos certificados é totalmente informatizado.

No passado recente, o seguro viagem só podia ser contratado antes do início da vigem, o que é o ideal e recomendado a fazer. Contudo, atualmente já é possível a contratação ou extensão do prazo durante a vigem, com a adoção de períodos de carência em torno de 48h, exceto para os destinos que exijam a apresentação do certificado do seguro viagem para ingresso naquele país.

Como comodidade e fidelização de clientes, algumas bandeiras e planos de cartão de crédito oferecem o seguro viagem dentre os seus benefícios. Mas é recomendável estar atento às regras preestabelecidas, avaliando os limites das coberturas e serviços de acordo com a categoria do seu cartão.

Também existe a necessidade de se comunicar com antecedência com a operadora, confirmando se a cobertura está condicionada a passagem aérea no referido cartão. E não deixe de analisar se as coberturas abrangem outros locais e países que não sejam o destino inicial da viagem, se assugurando de que também estão garantidas viagens marítimas e terrestres, pois geralmente só viagens aéreas são cobertas. Por fim, confira o prazo máximo de cobertura, porque pode estar limitado a 30 dias.

Estatisticamente, o custo do seguro viagem corresponde a 5% do valor total da sua viagem. Por isso, na sua próxima viagem, avalie bem essa oportunidade de poder contar com a segurança e a tranquilidade emocional que esse seguro pode proporcionar. 

Leia outros artigos de Marcelo Augusto Pereira

Publicidade


  • Produtos/Serviços SpaceMoney

  • Parceria r7.com

  • Simulador Online de Investimentos SPACEMONEY

    Acesse nosso Simulador de Investimento e descubra as melhores aplicações financeiras para o seu bolso e perfil.

    Simulador Online
  • © 2020 – SpaceMoney Brasil Informações e Sistemas Ltda. Todos os Direitos Reservados.
    A SpaceMoney é um veículo informativo e não faz recomendações de investimentos, não podendo ser responsabilizada por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.