Notícias que impactam suas ações e investimentos!

Entendendo seus investimentos: por que saber sobre o assunto?

Claro que é possível aplicar mesmo que não se conheça muito sobre o assunto. No entanto, entender seus investimentos pode ajudar a trazer melhores resultados.

Mesmo que se conte com a ajuda de um assessor, é importante conhecer onde se está pisando, até para obter mais segurança nas suas escolhas. Afinal, embora mesmo que tenha o auxílio de um consultor, a palavra final ainda é a sua.

Por isso, para trazer um pouco de conhecimento sobre o assunto, neste texto nós vamos apresentar alguns dos principais conceitos sobre investimentos. Entenda!

Quais são os principais conceitos sobre investimentos?

Antes de começarmos a mostrar alguns nomes comuns no mercado, vamos entender um pouco melhor o que seria uma aplicação. Via de regra, um investimento pode ser considerado como um ativo de capital em que há uma expectativa em seu resultado no futuro.

O objetivo desse produto financeiro é que seu retorno seja sempre maior do que a quantia investida. Existem diferentes tipos de investimentos, porém eles estão relacionados a alguns conceitos bastante comuns. Aqui, vamos conhecer quais são. Continue!

Taxa de administração

Essa é uma tarifa cobrada anualmente. Seu objetivo é remunerar o gestor do investimento e também os outros agentes ligados à aplicação. Ela é uma cobrança comum em fundos de investimento.

Taxa de performance

Fundos de investimento podem possuir, além da taxa de custódia, também a de performance. É uma tarifa relacionada a um adicional pago ao gestor pelo desempenho alcançado. Esse valor só pode ser quitado caso o investimento tenha uma rentabilidade acima do seu índice.

Imposto de renda

É um tributo encontrado em muitas aplicações e cobrado com base nos ganhos do investidor, muitas vezes na hora de resgatar a remuneração. Sendo assim, o investidor paga o imposto pelos lucros e não pelo total investido. Ele vem em forma de alíquotas por prazo.

Remuneração/juros

Os juros são aquilo que é pago a mais sobre o valor do que foi investido. Essa taxa pode ser mensal ou anual e está baseada em quatro princípios: o risco da aplicação, as expectativas em relação à inflação, a compensação por escolher esse investimento e não outro, e os custos para gerenciar os ativos.

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras é um tributo cobrado quando o dinheiro de uma aplicação é resgatado antes dos primeiros 30 dias. O valor da alíquota pode ser fixo ou variar de acordo com o prazo do investimento.

Taxa de custódia

De cobrança mensal, essa é uma taxa que pertence às corretoras. Ela é recolhida para custear o armazenamento dos títulos ou ações das instituições financeiras. A taxa de custódia pode ser fixa, ou, um percentual sobre o valor dos investimentos.

Vencimento

É o prazo máximo de existência da aplicação. Assim que ele acaba, o investidor pode pegar aquilo que foi investido mais os juros calculado durante todo o período.

Investimento mínimo

Essa é a menor quantia que pode ser utilizada para investir. Algumas aplicações até permitem que seja possível comprar suas partes com esse valor, como é o caso dos títulos públicos.

Carência

O prazo de carência de um investimento é o intervalo de tempo em que o ativo não pode ser resgatado. Até o fim desse período, o dinheiro deve ficar no banco ou na corretora. Ou seja, ela mostra a partir de qual data o investimento começa a ter liquidez e o investidor pode pegar o seu rendimento.

Cobertura FGC

O Fundo Garantidor de Crédito é uma organização privada mantida pelas instituições financeiras. Para que ele forneça garantia aos investimentos, é preciso que as instituições paguem uma porcentagem diária a ele.

Logo, essa entidade fornece para os investidores uma proteção contra possíveis quebras, intervenções ou extinções das instituições, permitindo que ele possa recuperar até R$ 250 mil daquilo que já foi aplicado.

Por que entender sobre educação financeira?

Como podemos observar, há vários conceitos ligados ao mundo dos investimentos e conhecê-los pode ajudar muito na hora de fazer suas escolhas. Imagine um investidor que quer aplicar em fundos de investimento, porém, ao juntar determinado valor, não sabe que ainda há a taxa de custódia? Ou, depois de um certo período investindo, ele descobre que teve de pagar um valor a mais para o gestor, pois o seu fundo possui taxa de performance.

Em casos assim, fica claro que, se ele tivesse conhecimento suficiente, não ficaria surpreso pelas cobranças. Talvez até avaliasse se é mesmo esse o investimento que quer. De fato, entender as “nuances” do mercado e as características principais das aplicações pode ajudar a atingir os objetivos financeiros mais rápido e com segurança.

Para quem deseja realmente se tornar um investidor e não apenas alguém que aplica de vez em quando, é fundamental se informar e acompanhar as notícias do setor. Como ressaltamos, contar apenas com a ajuda de um assessor, apesar de ser importante, não é o suficiente. Por isso, estudar sempre é a melhor resposta.

Onde se informar?

À medida que os investimentos estão ganhando mais espaço, novos meios de aprendizado aparecem. Se, antes, entender sobre o mercado financeiro era um conhecimento restrito àqueles que tinham acesso aos livros ou revistas especializadas, hoje há uma série de meios que fornecem conteúdos apurados e produzidos para facilitar o entendimento – e, muitas vezes, de graça.

Você pode encontrar informações sobre investimentos em blogs, portais especializados, sites de jornais sobre economia e canais de YouTube, ou em meios mais tradicionais, como revistas impressas. É possível até aprender com filmes e séries. Logo, é muito fácil entender os conceitos básicos sobre aplicações, mas o interessado deve estar disposto a tirar um tempo para se aprofundar nesse universo.

Acompanhamos, ao longo desse texto, os principais conceitos sobre investimentos e como é importante conhecê-los para fazer escolhas mais seguras. Além disso, descobrimos quais são os melhores lugares para obter informações sobre esse mundo.

Esperamos que esse texto não só te ajude a aplicar melhor, mas mostre que a melhor forma de fazer isso é: entendendo os investimentos.

Quer continuar recebendo mais conteúdos como este? Então, curta a nossa página no Facebook!

Publicidade

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!