Notícias que impactam suas ações e investimentos!

Fique por dentro de 5 principais notícias do mercado nesta sexta-feira

SpaceCast - Ouça esta matéria clicando abaixo:

Investing.com – O Fed continua seus esforços para injetar liquidez no sistema financeiro, enquanto um dia de ação global sobre as mudanças climáticas pode produzir algum estímulo fiscal há muito aguardado na Alemanha. Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros nesta sexta-feira, 20 de setembro.

1. Fed vai consertar o sistema?

O Federal Reserve conduzirá outra operação diária de recompra para aliviar a tensão contínua nos mercados interbancários dos EUA, enquanto Wall Street se preocupa cada vez mais com a falta de liquidez estrutural .

O presidente do Fed de Nova York, John Williams, deve falar às 9h15 (horário de Brasília), e pode acrescentar mais detalhes aos vagos comentários do presidente Jerome Powell na quarta-feira, quando o banco central ainda parecia esperar que o problema fosse resolvido em alguns dias.

O The Wall Street Journal informou que as autoridades do Fed já concordaram em incluir na agenda da reunião de política monetária do próximo mês uma discussão sobre a expansão do balanço do Fed novamente. Ainda não está claro que formato isso pode ter. Enquanto isso, Eric Rosengren, um dos dois falcões dissidentes na reunião desta semana, também falará às 12h20.

2. Protestos à favor do clima ao redor do mundo

Um dia globalmente organizado de protestos contra as mudanças climáticas está ocorrendo antes da Assembléia Geral da ONU na próxima semana, atraindo multidões na Austrália, Índia, Tailândia e outros lugares.

Várias empresas e governos agendaram iniciativas políticas para coincidir com os protestos, principalmente a Amazon.com (NASDAQ: NASDAQ:AMZN), que divulgou na quinta-feira planos para resolver sua pegada de carbono com um pedido de 100.000 veículos de entrega elétrica da startup Rivian. A empresa liderou uma rodada de financiamento de US$ 700 milhões para a Rivian no início deste ano.

Enquanto isso, espera-se que o governo federal da Alemanha revele um pacote de medidas relacionadas ao clima, que alguns estão chamando de pacote de estímulo fiscal disfarçado. Pode parecer estranho disfarçar um pacote de estímulo fiscal, especialmente quando o Banco Central Europeu, a OCDE e o FMI estão pedindo um, mas o partido da chanceler Angela Merkel ainda não conseguiu abandonar o compromisso com orçamentos equilibrados que a ajudou a vencer as últimas três eleições.

3. Wall Street deve abrir em alta

Os mercados de ações dos EUA estão prontos para outra rodada com novos recordes, em um cenário de crescentes esperanças de bons resultados na disputa comercial EUA-China.

Às 8h22 (horário de Brasília), o futuros do Dow subia 49 pontos ou 0,18%, enquanto o futuros do S&P 500 avançava 0,17% – a menos de 1% do seu recorde histórico. Enquanto os futuros do Nasdaq 100 tinham ganhos de 0,21%.

No entanto, o mercado de títulos ainda está atuando como um freio, com a curva de juros nivelando novamente devido ao aperto contínuo nos mercados interbancários. O rendimento do título do Tesouro americano de 10 anos está agora apenas 2 pontos base acima do de dois anos, enquanto ambos permanecem firmemente abaixo da taxa da nota de três meses.

4. Notícias mistas sobre comércio

As negociações comerciais entre autoridades de nível médio dos EUA e da China estão avançando, visando preparar o terreno para que as negociações de nível superior sejam retomadas no início do próximo mês.

A administração dos EUA disse que os delegados chineses permanecerão nos EUA na próxima semana para visitar áreas agrícolas, acrescentando alguns detalhes adicionais ao tom positivo. Mesmo assim, os resultados continuam sendo, segundo os comentários do secretário de Comércio Wilbur Ross na quinta-feira, de que “mais complicados do que comprar mais alguns grãos de soja”.

5. Libra sobe com esperanças de Brexit

A libra atingiu uma alta de dois meses em relação ao dólar e uma alta de quatro meses em relação ao euro, em meio à esperança de que um Brexit sem acordo possa ser evitado depois que o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker disse ao Sky News que um acordo entre a União Europeia e Reino Unido é possível.

No entanto, também aqui permanecem algumas suspeitas de que as esperanças estão superando a realidade. É pouco provável que o Reino Unido apresente propostas comprometidas juridicamente para romper o impasse até depois da conferência do Partido Conservador, no final de setembro.

Espera-se que a Suprema Corte do Reino Unido se pronuncie na próxima semana sobre a legalidade da decisão do primeiro-ministro Boris Johnson de suspender o Parlamento, uma medida que torna mais difícil para os legisladores impedirem que um Brexit sem acordo aconteça.

Publicidade

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!