Parceria r7.com

A casa de análises Capital Research divulgou, neste mês, um relatório sobre um tipo inusitado de fundos de investimento, os Fundos Mono Ação. Há duas informações essenciais sobre esses fundos. A primeira, como diz o nome, é que eles têm apenas uma ação. E a segunda informação, também simples, é uma dica: não caia nessa.

Em um fundo de investimentos, os cotistas investem seu dinheiro porque sabem que o gestor do fundo, especializado na área, vai escolher as melhores opções para direcionar a quantia investida. Assim, a Capital Research pontua: se um fundo tem apenas uma ação, pagar pelo trabalho da gestora para de fazer sentido. Seria mais vantajoso, nesse caso, investir diretamente na ação.


Se quiser saber mais sobre o funcionamento de um fundo de investimentos, confira esta SpaceDica:

Quem é quem em um fundo de investimento?


Segundo o relatório, existem fundos que cobram 3% ao ano para ter apenas um ativo na carteira e, hoje em dia, 300 mil cotistas investem nesses modalidade no Brasil.

Para ilustrar a situação, a Capital traz uma lista de 40 fundos classificados como “mono ação” na Anbima. Entre eles, 85% possuem taxa de administração maior do que 1,0% ao ano — o que representa, ao todo, mais de 100 milhões de reais.

A mensagem da Capital Research é clara:

“O custo atual desses fundos NÃO corresponde à estrutura de gestão deles e nem a alguma vantagem em recolhimento dos impostos (retidos na fonte no momento do resgate das cotas) quando comparados ao investimento direto em ações”.


Você pode acessar o relatório completo neste link.


Publicidade


  • Produtos/Serviços SpaceMoney

  • Parceria r7.com

  • Simulador Online de Investimentos SPACEMONEY

    Acesse nosso Simulador de Investimento e descubra as melhores aplicações financeiras para o seu bolso e perfil.

    Simulador Online
  • © 2020 – SpaceMoney Brasil Informações e Sistemas Ltda. Todos os Direitos Reservados.
    A SpaceMoney é um veículo informativo e não faz recomendações de investimentos, não podendo ser responsabilizada por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.