Com a queda na taxa Selic, muita gente está buscando outras formas de investir além da renda fixa, com o objetivo de melhorar a rentabilidade de sua carteira de investimentos.

Uma dessas alternativas de investimentos são as ações!

Quando você compra uma ação está comprando um pedacinho de uma empresa, se tornando sócio dela.

Atualmente, um pouco mais de 1, 5 milhões de brasileiros investem em ações, número ainda muito pequeno se comparado aos mais de 210 milhões de brasileiros que temos no país. Isso equivale a menos de 1% da população!

Muita gente pensa que para investir em ações é necessário ser rico ou um profissional da área, mas isso não é verdade. Investir em ações é para todos, basta ter perfil para isso.

Para você entender como investir em ações é tão acessível, qualquer pessoa pode comprar uma ação, se assim desejar. Existem ações para todos os bolsos, inclusive as chamadas Penny Stocks, que custam menos de R$ 1,00, sabia?

Como posso investir em ações?

Para investir em ações será necessário abrir conta em uma corretora de valores, que será apenas uma intermediária entre você e o que eu chamo de “supermercado de empresas”, que é a Bolsa de Valores. As corretoras muitas vezes cobram uma taxa para fazer a compra e a venda de ações, e essa taxa de chama corretagem. Preste muita atenção, porque existem muitas corretoras hoje em dia que não cobram essa taxa: dê preferência a elas. Quanto menos custo, melhor!

Como posso lucrar com ações?

Você poderá lucrar com a valorização das ações, comprando uma ação mais barata e vendendo-a mais cara, ou por meio de dividendos, que é um pequeno percentual que você poderá receber em dinheiro e que será pago de acordo com a política de dividendos de cada empresa.

Existem ainda as bonificações e juros sobre capital próprio, mas isso abordaremos em um outro artigo.

Quais os custos de se investir em ações?

Os custos para se investir em ações, basicamente, são:

·         Taxa de corretagem: como mencionei anteriormente, algumas corretoras cobram para intermediar a compra e venda de ações, mas existem muitas corretoras que não cobram essa taxa. Fique atento;

·         Taxa de custódia: é a taxa cobrada pela guarda das ações, mas também existem várias corretoras que já não cobram essa taxa atualmente;

·         Emolumentos: taxa de liquidação cobrada pela bolsa de valores de acordo com o volume negociado;

·         Imposto de renda:  para operações comuns de compra e venda de ações, o imposto de renda é de 15% sobre lucro, deduzindo as despesas acima se houver. O próprio investidor deverá recolher o imposto pagando um DARF sobre o código 6015, até o último dia útil do mês subsequente a venda. Para os investidores que totalizarem vendas com lucro dentro do mesmo mês inferiores R$ 20 mil são isentos de imposto de renda.

Já para a compra e venda no mesmo dia, o chamado Day-trade, o imposto de renda que incide sobre o lucro é de 20%. Nesse caso não existe isenção de imposto de renda mesmo para operações inferiores a R$ 20 mil.

Não cometa esses erros!

Para quem está pensando em investir em ações ou e,stá iniciando agora, existem alguns erros comuns que acredito que possam ser evitados com as dicas abaixo:

·         Ações são investimentos de risco: Você poderá colocar R$ 100,00 em uma empresa e amanhã diminuir para R$ 90,00 ou aumentar para R$ 105,00. Essas variações de preços chamamos de oscilações e, caso precise resgatar o valor investido em um momento de oscilação negativa, você perderá dinheiro. Isso deve ficar muito claro na sua cabeça. Portanto só invista em ações caso não sofra com essas oscilações. Já vi muito investidor que não tinha perfil para ações e ficava monitorando cada centavo que subia e ou que caía; se esse for o seu caso, não invista. Como eu já disse algumas vezes: “não existe rentabilidade que pague a sua tranquilidade, respeite o seu perfil!

·         Somente invista em ações após ter feito sua reserva de emergência: investimento em ações somente é recomendado depois de você já ter feito a sua reserva de emergência (quer saber como fazer sua reserva de emergência, leia o artigo que escrevi sobre o assunto). Portanto, direcione só o dinheiro que você tenha certeza que não irá precisar no curto prazo e que você esteja disposto a arriscar nessa modalidade de investimentos;

Ninguém fica rico do dia para noite investindo em ações: Acredite! Você não vai investirR$ 100,00 em uma empresa e na próxima semana esse valor se transformará em R$ 1.000,00. Definitivamente isso não acontece. Não caia nessa ilusão! Qualquer ação tende a valorizar no médio/longo prazo (inclusive isso pode não acontecer), pois o crescimento é de forma gradual e com oscilações esperadas no meio do caminho;

·         Investir em ações é para todos, mas escolher em qual ação investir, não!  Para saber se uma empresa para entender a sua solidez, e se é um bom investimento, é necessário analisar vários fatores, inclusive os fundamentos e o balanço dessa empresa. Isso, sim, é algo complexo, por isso existem profissionais capacitados para isso. Esses profissionais, como eu, são os Analistas de Valores Mobiliários, que possuem um certificado chamado CNPI (Certificado Nacional do Profissionais de Investimentos) que o autorizam a fazer recomendações de ações. Portanto, antes de investir em ações, procure a opinião de um profissional CNPI.

Gostou desse artigo? Tem alguma sugestão ou algum assunto que você gostaria de ver por aqui? [GM1] 

Na próxima semana vamos continuar aprendendo sobre o universo das ações. Esse com certeza é um assunto que temos muito o que falar!

Até lá!

  • Simulador Online de Investimentos SPACEMONEY

    Acesse nosso Simulador de Investimento e descubra as melhores aplicações financeiras para o seu bolso e perfil.

    Simulador Online