Notícias que impactam suas ações e investimentos!

O Rock in Rio começou! Roqueiros chegam a gastar R$ 7 mil para ir ao festival. Saiba como se planejar, e investir, para estar no próximo

SpaceCast - Ouça esta matéria clicando abaixo:

O Rock in Rio é uma das maiores tradições cariocas desde 1985. Naquele ano, o festival atraiu 1,380 milhão de pessoas. Em 2019, o público estimado é de 700 mil e, segundo a RioTur, empresa de turismo do município do Rio de Janeiro, a expectativa para o número de “gringos” durante os 7 dias de shows é de 420 mil.

Muita gente, não acha? Quanto será que essas pessoas movimentam na economia? Quanto os roqueiros gastam por alguns dias de festival? É muito caro ir? Se você tem essas e outras dúvidas, continue lendo a matéria porque a SpaceMoney vai trazer curiosidades e dicas para que você faça parte das próximas edições do maior festival do Brasil e ainda tenha dinheiro para os gastos fixos do mês!

Quanto o Rock in Rio fatura?

Com mais de 18 mil pessoas trabalhando na produção do festival, o Rock in Rio é uma máquina de fazer dinheiro. As marcas disputam para fechar acordos com os produtores do festival e, atualmente, o time de patrocinadores conta com Coca-Cola, Doritos, Ipiranga, Natura, Ford e Heineken.

Mantendo a tradição de patrocinador master, o Itaú é a instituição que mais investe no festival. Na edição de 2013, o banco foi responsável por um cachê de R$ 12 milhões. Já na primeira edição do festival, em 1985, o maior patrocinador era a Brahma, com 4,5 milhões de dólares. Contudo, os aportes financeiros das marcas em 2019 não foram revelados.

O lucro total do festival também não é divulgado, mas para termos uma noção da arrecadação da festa bilionária, vamos analisar o valor dos ingressos e a quantidade vendida. Segundo informações do próprio site do evento, em 2019 foram vendidos, no total, 898 mil ingressos.

Na pré-venda, em novembro de 2018, os RIR Cards foram vendidos por R$ 495 na entrada inteira e por R$ 247,5 na meia. Já na venda oficial, em abril de 2019, os valores subiram para R$ 525 (inteira) e R$ 262,50 (meia).

Supondo que na pré-venda 99 mil pessoas compraram ingressos meia-entrada e a outra metade comprou inteira, e na venda oficial 350 mil compraram meia-entrada e a outra metade inteira, só com os ingressos o festival já teria retorno de R$ 349.132.500,00.

Quanto o festival movimenta na economia do Rio de Janeiro?

Entre os dias 27 de setembro e 6 de outubro, o Rio de Janeiro receberá quase 1 milhão de pessoas de todos os lugares do mundo. Segundo levantamentos do jornal O Globo, o impacto econômico esperado para o estado, este ano, é de R$ 1,7 bilhão. Em 2017, a movimentação gerada pelo festival foi de R$ 1,4 bilhão.

Com 62% dos ingressos destinados a pessoas de fora do estado do Rio de Janeiro, os setores do turismo e aéreo estão entre aqueles que serão mais beneficiados. Além disso, segundo o jornal, o festival investiu mais de quase 2 milhões de reais para incluir, durante os shows:

  • agentes da CET-Rio;

  • garis, contêineres de resíduos, sopradores e veículos de limpeza;
  • guardas municipais;
  • rádios de comunicação;
  • revisão da iluminação pública e monitoramento de câmeras.

Além disso, o setor alimentício dentro do festival também é muito beneficiado. Segundo apuração da revista Época, na edição de 2015 foram consumidos:

  • 120 mil hambúrgueres;
  • 75 mil paletas mexicanas;
  • 27 mil cachorros-quentes;
  • 20 mil milkshakes;
  • 540 mil litros de cerveja.

Quanto os roqueiros gastam por dia de festival?

No cálculo da SpaceMoney consideramos duas situações: uma pessoa que vai apenas em dois dias do festival porque não conseguiu tirar férias do trabalho e não pode gastar muito; e outra que vai em quatro dias do festival e pode gastar um pouco mais. Ambos moram fora do Rio de Janeiro.

Na primeira situação, o roqueiro mora em São Paulo e comprou os ingressos na pré-venda oficial, pagando, assim, R$ 495 reais na entrada inteira. O nosso personagem vai em dois dias do festival: 05 e 06 de outubro.

Ele comprou passagens de ônibus e vai ficar hospedado em um apartamento do Airbnb, fazendo o check in na sexta-feira à noite e o check out no domingo à tarde. Somando as passagens, a hospedagem de três dias, os ingressos, o seu consumo dentro do festival e o transporte interno pela cidade do Rio de Janeiro, o roqueiro gastaria, por fim, R$ 2.249,84.

  • Passagem de ônibus*: R$ 347,84
  • Hospedagem Airbnb*: R$ 160 reais por noite
  • Suposto consumo (total com base em valores de alguns estabelecimentos dentro do Parque Olímpico)*: R$ 180
  • Transporte interno*: R$ 42 por dia de Uber

  • Ingresso*: R$ 990

O segundo personagem preferiu ir de avião porque mora em Belo Horizonte e optou por ficar em um hotel 3 estrelas próximo à Barra da Tijuca. Ele comprou os ingressos na venda oficial e todos foram entrada inteira. Porque podia consumir um pouco mais dentro do festival, esse roqueiro gastou R$ 7.778.

  • Passagem de avião*: R$ 979 (vai dia 02 de outubro e volta dia 06 de outubro)
  • Hospedagem*: R$ 3.559 no total das 4 noites
  • Suposto consumo (total com base em valores de alguns estabelecimentos dentro do Parque Olímpico)*: R$ 400
  • Transporte interno*: R$ 42 por dia de Uber
  • Ingresso*: R$ 2.100

*as simulações foram feitas com valores consultados no dia 27 de setembro de 2019.

Dicas para se preparar financeiramente para o próximo Rock in Rio

Para se preparar para um festival tão grande, é preciso colocar todos os valores na ponta do lápis. Como demonstramos acima, a quantia que você vai gastar depende de quanto você está disposto a pagar. Confira as nossas dicas para que o seu próximo Rock in Rio caiba no seu bolso!

Analise quanto você pode gastar

Assim como mostramos acima, há pessoas que podem gastar grandes quantias em festivais e outros quantias menores. O primeiro passo para descobrir quanto você pode gastar é anotar a sua renda mensal e os gastos fixos que você possui nos meses. Ao avaliar onde você gasta o seu dinheiro você pode determinar quanto consegue guardar sem que o seu orçamento fique apertado.

Os gastos fixos são aqueles de necessidades básicas, como aluguel, contas de luz, água e outros. Não os confunda com gastos de lazer, como cinema, baladas e compras no shopping.

Em relação aos gastos de lazer, será que eles são realmente necessários para você? Será que você precisa dessa quantidade para lazer? Ao identificar supérfluos que são dispensáveis, elimine-os. Essa é uma premissa básica da educação financeira: saber o que pode ser poupado e gastar com sabedoria. Portanto, se a sua prioridade é o ingresso do Rock in Rio, faça alguns sacrifícios.

Separe quantias mensais

Ao identificar em que você pode poupar, separe as quantias mensalmente. A próxima pré-venda desse festival acontecerá daqui um ano, aproximadamente. Economizar R$ 2.500 reais em partes de 12 meses pesa menos que retirar R$ 2.500 de uma vez de seu orçamento, concorda?

Para te auxiliar a guardar o dinheiro aos poucos, em aplicações de baixo risco, como o Tesouro Selic, que ainda rende mais que a poupança mesmo com o corte da taxa básica de juros.

Portanto, essas aplicações permitem que você aplique quantias diferentes todos os meses, rendem uma porcentagem a mais e oferecem liquidez diária, o que permite que você resgate a qualquer momento.

Compre com antecedência

Assim como mostramos acima, se você conseguir comprar os ingressos na pré-venda, você consegue economizar uma boa quantia. Se a pré-venda esgotar, você pode esperar a line-up do festival ser divulgada e escolher o dia específico que você vai.

Assim que decidir o dia, compre as passagens junto, porque as simulações que fizemos acima foram feitas no dia do festival, ou seja, os valores estavam mais altos que o normal.

Se você compra passagens e reserva a hospedagem com meses de antecedência, você consegue alguns descontos e pode até parcelar o valor. Entretanto, é importante ficar atento aos juros para que você não gaste mais.

Leve comidas de casa

Por fim, apuramos preços das comidas que são vendidas dentro do Parque Olímpico e eles não são nada camaradas. Pessoas que frequentaram o festival reclamaram dos valores altos e incoerentes: “Não acredito que três esfihas do Habib’s custam R$ 20 reais no Rock in Rio”, comentou uma usuária na página oficial do Instagram do evento.

Para que você economize lá dentro, fique atento às regras do que pode levar para consumo e faça as compras nos mercados antes do show. As regras estão no site do Rock in Rio e ajudam você a economizar nas comidas e bebidas enquanto estiver na Cidade Maravilhosa.

Parceria

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!