No Dia Mundial do Meio Ambiente, a equipe do SpaceMoney se perguntou: quais são as relações entre educação financeira e meio ambiente? 

Para responder a essa questão, conversamos com Mariana Moraes, do Verdes Marias, iniciativa que estimula as pessoas a adotarem práticas de sustentabilidade. 

O resultado foi uma lista com 6 pequenos hábitos sustentáveis que, embora sejam simples, podem causar grandes impactos em sua saúde financeira — e na do espaço em que vivemos. Confira nesta SpaceDica

1. Compre móveis de segunda mão

É uma lógica simples: quanto mais os consumidores procuram um produto, mais ele vai ser produzido pelas indústrias. Optar por móveis de segunda mão no lugar de móveis novos traz benefícios para o seu bolso, que vai pagar preços menores; e para o meio ambiente, que vai ser poupado tanto pela redução do processo industrial quanto pela diminuição do lixo descartado. 

Você pode buscar por móveis usados em sites como Mercado Livre e OLX; e até em grupos de Facebook e páginas do Instagram. Mas se ligue: na hora de comprar itens de segunda mão, a atenção às fotos e especificações do produto tem de ser redobrada, principalmente em ambientes virtuais. 

2. Faça listas de compras — e tente segui-las

Parece algo simples, né? Mas pode fazer muita diferença. Segundo esta pesquisa do Instituto Nielsen, 70% das decisões de compra são feitas no próprio ponto de venda — ou seja, você provavelmente só comprou aquilo porque viu na sua frente. Fazer (e seguir!) essas listas é um hábito fácil, que além de reduzir o consumismo e a produção de lixo, vai diminuir o valor total de suas compras.

3. Use coletores menstruais

Já faz alguns anos que os coletores menstruais têm se tornado mais populares. Sob o ponto de vista do meio ambiente, os coletores são uma alternativa aos produtos de uma indústria nada sustentável — a dos absorventes. Esta matéria da National Geographic mostra que cada mulher utiliza, em média, entre 5 mil e 15 mil absorventes durante sua vida. No lugar disso, os coletores podem ser utilizados por até 3 anos — são 36 meses sem gastos com absorventes pelo preço de apenas um coletor menstrual. 

4. Compre produtos a granel

Fora dos supermercados tradicionais, há um sem-número de feiras e mercados que vendem variados tipos de produtos a granel. Cereais, macarrão, bolachas, temperos, chás; e, claro, legumes, verduras, pães… A lista continua. Além de serem mais baratos, você pode fazer as compras com sacolas de pano e potes de vidro e evitar o descarte das embalagens. Neste link você encontra outras dicas e vantagens sobre as compras a granel. 

 

5. Considere os brechós para comprar e vender roupas

Em vez de esperar sua marca preferida entrar em liquidação, você pode procurar roupas (inclusive da sua marca favorita) em brechós — sejam eles físicos ou virtuais. E o caminho inverso também é uma boa: vender suas roupas e acessórios se tornou uma atividade fácil com os aplicativos de compra e venda. Alguns deles, como o Repassa, o Enjoei e o Troc, são especializados nessa categoria.

6. Substitua as fraldas descartáveis por fraldas de pano

Por ano, um bebê usa, em média, 3800 fraldas descartáveis, que levam entre 450 e 600 anos para se decompor. Qualquer pai ou mãe — na verdade, qualquer pessoa que já foi convidada a um chá de fraldas — tem noção de quão caro pode ser um pacote desses valiosos dispositivos, que são tão eficazes quanto poluentes. Nesse contexto, as fraldas de pano são uma alternativa econômica e sustentável: 24 unidades são suficientes para um bebê; e, após o descarte, sua decomposição leva em torno de 6 meses.

  • Simulador Online de Investimentos SPACEMONEY

    Acesse nosso Simulador de Investimento e descubra as melhores aplicações financeiras para o seu bolso e perfil.

    Simulador Online