Notícias que impactam suas ações e investimentos!

ABERTURA: Ibovespa abre em alta após tombo na véspera; dólar cai

SpaceCast - Ouça esta matéria clicando abaixo:

Investing.com – Depois do dia negativo na véspera, o índice futuro do Ibovespa começa a quinta-feira com ganhos de 0,16% aos 101.190 pontos, às 10h21, com o dólar comercial cedendo 0,20% a R$ 4,126. A cena comercial deve seguir mobilizando as atenções dos investidores, que desta vez também atinge a União Europeia após decisão favorável aos EUA na Organização Mundial do Comércio (OMC). Por aqui, apesar da aprovação da reforma da Previdência, em 1º turno no Senado, o texto sofreu novas alterações que reduzem a economia estimada pelo governo, o que pode ser considerada uma nova derrota – além de ameaças de senadores em adiar a votação do 2º turno no plenário da Casa.

– Cenário Interno

Cessão Onerosa

Na contramão dos esforços do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-RJ), de negociar com o governo a edição de uma medida provisória para definir os critérios de distribuição de parte dos recursos do megaleilão de petróleo previsto para novembro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avaliou que eventual MP configuraria um desrespeito ao Congresso, evidenciando as divergências entre as duas Casas sobre o tema.

Enquanto senadores manifestam preocupação com a tramitação na Câmara dos Deputados da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que disciplina os critérios da partilha —pelas regras e prazos regimentais, ela estaria pronta para plenário no final de outubro ou início de novembro, em data muito próxima do leilão—, assunto que vem contaminando a discussão da reforma da Previdência no Senado, Maia considerou que a edição de uma MP atropelaria o Congresso.

Reforma da Previdência

O Senado concluiu nesta quarta-feira a votação em primeiro turno da reforma da Previdência, ainda que contaminado pelas discussões sobre o pacto federativo e em meio a disputas por protagonismo com a Câmara dos Deputados.

Senadores haviam aprovado o texto principal da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) na véspera, ocasião em que também impuseram uma derrota ao governo, quando aprovaram destaque que retirou do texto as novas regras relacionadas ao abono salarial. O trecho rejeitado limitaria o acesso ao benefício e sua exclusão terá um impacto de cerca de 76 bilhões de reais na economia pretendida pelo governo em dez anos.

Nesta quarta, após certa hesitação, retomaram a análise dos destaques e concluíram o votação em primeiro turno.

No entanto, os senadores estão insatisfeitos com o tratamento dispensado a eles pelo governo, pedindo a liberação de verbas para emendas e atenção à distribuição de verbas aos Estados caso o governo queira a aprovação de suas propostas no Senado. As reivindicações, segundo o jornal O Globo, partem até de parlamentares da base do governo na Casa.

A derrota do governo no destaque do abono salarial foi um recado ao governo dos senadores. Além disso, o Senado avalia as emendas derrubadas no 1º turno para a PEC paralela da Previdência, que contempla Estados e municípios e acomoda propostas dos senadores sem contaminar o texto original. A PEC está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e já recebeu 168 sugestões de mudanças. A manutenção da fórmula de cálculo da pensão por morte é uma das emendas derrubadas que podem ser inseridas na PEC, cujo desidratação seria de aproximadamente R$ 100 bilhões em 10 anos em relação à proposta original.

– Cenário Internacional

Guerra Comercial

Os Estados Unidos obtiveram aprovação nesta quarta-feira para impor tarifas de importação sobre bens europeus no valor de 7,5 bilhões de dólares, devido a subsídios ilegais da União Europeia (UE) concedidos à Airbus, ameaçando desencadear uma guerra comercial transatlântica num momento em que a economia global patina.

A decisão da Organização Mundial do Comércio (OMC) empurra uma disputa corporativa de 15 anos sobre o apoio ilegal a gigantes de aviões para o centro das cáusticas relações comerciais do mundo e vem na esteira de uma guerra tarifária entre Washington e Pequim.

Em resposta, os Estados Unidos pretendem impor novas tarifas de 10% sobre aeronaves e de 25% sobre bens agrícolas e industriais e outras mercadorias europeias a partir de 18 de outubro, disse uma autoridade do escritório do Representante de Comércio dos EUA (USTR, na sigla em inglês).

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou nesta quinta-feira uma “boa vitória” depois da decisão da OMC.

“Os EUA ganharam um prêmio de 7,5 bilhões de dólares da Organização Mundial do Comércio contra a União Europeia, que há muitos anos trata muito mal os EUA no comércio devido a tarifas, barreiras comerciais e mais. Esse caso já tem anos, uma boa vitória!” disse Trump no Twitter.

Zona do euro

Os preços ao produtor na zona do euro caíram mais do que o esperado em agosto devido a uma forte queda da energia, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira, sinalizando o enfraquecimento das pressões inflacionárias em uma economia da zona do euro em desaceleração.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os preços nos portões das fábricas dos 19 países que usam o euro caíram 0,5% em agosto sobre o mês anterior, com deflação de 0,8% na base anual. Economistas consultados pela Reuters esperavam um recuo de 0,3% na comparação mensal, e queda de 0,5% na base anual.

Isso é resultado da deflação de 1,9% nos preços da energia em agosto sobre o mês anterior, chegando a uma queda anual de 4,9%. Sem o componente volátil de energia, os preços ao produtor ficaram estáveis no mês e subiram 0,5% no ano, disse a Eurostat.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 2,01%, a 21.341 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,26%, a 26.110 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC permaneceu fechado. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, não teve operações.

A sessão nos mercados europeus é de rumos distintos, com o DAX, de Frankfurt, fechada por um feriado local. Em Londres, o FTSE cede 0,83% aos 7.062 pontos, enquanto CAC, de Paris, soma 0,21% aos 5.434 pontos.

COMMODITIES

Os negócios dos contratos futuros do minério de ferro e do vergalhão de aço seguem suspensos nos mercados asiáticos, que devem ser retomados somente no dia 8.

No caso do petróleo, o barril do tipo WTI, referência em Nova York, tem variação de 0,00%, ou US$ 0,00, a US$ 52,64. Já em Londres, o Brent recua 0,05%, ou US$ 0,03, a US$ 57,66.

MERCADO CORPORATIVO

– Amazon (NASDAQ:AMZN)

A gigante norte-americana Amazon.com Inc (NASDAQ:AMZN) está lançando no Brasil sua assistente virtual Alexa e três dispositivos com o software integrado, em mais um esforço para expandir as operações na maior economia da América Latina para além do comércio eletrônico.

O movimento surge apenas três semanas após a companhia introduzir aos consumidores brasileiros seu serviço de assinatura de produtos de entretenimento e compras, o Prime, acirrando ainda mais a concorrência com varejistas locais ao oferecer frete gratuito ilimitado para todo o país.

“Esse é um momento particularmente empolgante para Amazon (NASDAQ:AMZN) no Brasil”, afirmou na quarta-feira o diretor internacional para Alexa da Amazon, Michele Butti, em encontro com jornalistas em um hotel na capital paulista.

– Petrobras (SA:PETR4)

O Conselho Deliberativo da Federação Única dos Petroleiros (FUP) decidiu indicar para assembleias a rejeição da proposta de acordo coletivo apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e a aprovação de uma greve caso as negociações com a Petrobras (SA:PETR4) não avancem, disse o coordenador geral da federação em um vídeo publicado aos petroleiros.

Segundo José Maria Rangel, as assembleias acontecerão entre 7 e 17 de outubro. Em caso de não continuidade das negociações, a greve ocorreria a partir de 26 de outubro.

“Entendemos que os itens que nós apresentamos no dia 26 de setembro podem melhorar a proposta que foi apresentada por aquele tribunal sem retirar os direitos da categoria petroleira”, disse Rangel.

O tribunal está mediando as negociações há cerca de um mês, após ter sido acionado pela petroleira diante de um impasse com a categoria sobre o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019-2020.

– Vale (SA:VALE3)

A Vale (SA:VALE3) prevê que maior parte dos desembolsos para encerramentos definitivos de barragens e reparações ligados ao desastre de Brumadinho (MG) ocorram até 2021, informou a mineradora nesta quarta-feira em apresentação ao mercado.

A companhia já assinou 500 acordos de indenização individual ou em grupo, somando 1.100 beneficiários, com o pagamento de 172 milhões de reais, devido ao rompimento de barragem de rejeitos na cidade mineira, em 25 de janeiro, que deixou cerca de 250 mortos, a maior parte de funcionários da empresa.

Outros 460 acordos relacionados a indenizações trabalhistas também já foram acertados, totalizando 1.300 beneficiários, sendo 432 milhões de reais para indivíduos e 400 milhões de reais coletivos. Também foram pagos até agora 840 milhões de reais em indenizações emergenciais.

A expectativa da Vale (SA:VALE3) é que as despesas anuais relacionadas ao encerramento definitivo de barragens de risco e às reparações devido à tragédia cheguem a entre 1,5 bilhão a 2,1 bilhões de dólares no próximo ano, antes de cair até 2022.

– Sabesp (SA:SBSP3)

O Senado abriu espaço para que a empresa paulista de saneamento Sabesp (SA:SBSP3) tome empréstimo de 2,3 bilhões de reais para empregar na despoluição do rio Tietê e em obras de saneamento, afirmou nesta quarta-feira o governo do Estado de São Paulo.

De acordo com o comunicado, reunião extraordinária da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou que o Estado receba aproximadamente 4 bilhões de reais em empréstimos internacionais.

Dentre desse pacote, a Sabesp (SA:SBSP3) poderá contratar recursos do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), e para o Programa de Sustentabilidade e Inclusão aos Serviços de Saneamento e Preservação da Água para Abastecimento Público, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

– Oi (SA:OIBR4)

O grupo de telecomunicações Oi (SA:OIBR4) pode considerar vender sua operação móvel se receber ofertas atraentes, disse o vice-presidente de operações Rodrigo Abreu nesta quarta-feira, após relatos de interesse de suas maiores rivais.

Ainda assim, Abreu, poucas semanas após ter sido escolhido para o novo cargo na Oi (SA:OIBR4), disse em entrevista à Reuters que essa transação não é essencial para o plano estratégico da empresa: “Não faz parte do nosso plano de curto prazo e não dependemos da venda da operação móvel para realizar nosso plano de investimentos, mas é uma opção no futuro.” Ele acrescentou que a Oi não iniciou um processo formal de venda da unidade de telefonia móvel.

A Reuters informou no mês passado que a Oi (SA:OIBR4) estava em negociações preliminares com a espanhola Telefónica e a italiana Telecom Italia para vender sua rede móvel e evitar uma possível crise de caixa.

A maior operadora de telefonia fixa do Brasil entrou com pedido de recuperação judicial em junho de 2016 para reestruturar aproximadamente 65 bilhões de reais de dívida.

Abreu disse que a venda de ativos não essenciais deve ser o bastante para financiar o investimento no serviço de banda larga residencial com fibra óptica (FTTH), um dos principais focos da Oi (SA:OIBR4).

– Fleury (SA:FLRY3)

A companhia de medicina diagnóstica Fleury (SA:FLRY3) informou nesta quarta-feira que fechou acordo para comprar 100% do Grupo Diagmax, em Pernambuco, por até 112 milhões de reais.

O valor da transação inclui um preço de aquisição de 80,4 milhões de reais e um adicional de até 31,6 milhões a ser pago dependendo do atingimento de metas, que não foram detalhadas no fato relevante. O prazo do pagamento adicional também não foi divulgado.

Segundo a Fleury (SA:FLRY3), o Grupo Diagmax atua em serviços de diagnósticos por imagem e análises clínicas por meio de seis unidades de atendimento na região metropolitana de Recife. A receita bruta estimada do grupo, nos 12 meses findos em julho, atingiu 47,2 milhões de reais.

“Essa aquisição permitirá ao grupo Fleury (SA:FLRY3) expandir a presença estratégica no mercado de Recife, aumentando sua capilaridade para 17 unidades de atendimento e fortalecendo o portfólio de exames, com a expansão da oferta em diagnósticos por imagem”, afirmou a companhia no documento.

– Carne Bovina

As exportações de carne bovina do Brasil acumularam alta de 9,2% nos nove primeiros meses de 2019 em comparação com igual período do ano passado, somando embarques de 1,2 milhão de toneladas, informou nesta quarta-feira a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

Segundo a Abiec, o faturamento com as vendas da proteína entre janeiro e setembro de 2019 atingiu 4,9 bilhões de dólares, avanço de 4,6% na comparação anual.

Apesar do avanço no acumulado do ano, em setembro isoladamente os embarques recuaram 18,6% em relação ao mesmo mês de 2018, para 145 mil toneladas, acrescentou a Abiec. As receitas caíram 12,8% no período, a 609,4 milhões de dólares.

“Acreditamos que o ritmo das exportações está compatível com as expectativas do mercado”, disse em nota o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli.

AGENDA DE AUTORIDADES

– Jair Bolsonaro

O presidente da República começa a quinta-feira participando da solenidade de lançamento da campanha do Projeto Anticrime, se reunindo em seguida com Onyx Lorenzoni, Ministro-Chefe da Casa Civil.

Na parte da tarde, recebe Admar Gonzaga, Advogado; e Karina Kufa, Advogada, antes de se reunir com Deputado Hildo Rocha (MDB/MA). Bolsonaro ainda se reúne com Marcelo Álvaro Antonio, Ministro de Estado do Turismo, fechando o dia com a cerimônia de apresentação de Cartas Credenciais dos Novos Embaixadores

– Paulo Guedes

– Reunião com o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes;

– Audiência com Franck Petitgas, head do Banco Morgan Stanley (NYSE:MS) Internacional;

– Reunião com o governador de Roraima, Antônio Denarium;

– Reunião com o prefeito de Goiânia, Iris Resende.

Parceria

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!