Notícias que impactam suas ações e investimentos!

Ouro atinge máxima de 2 semanas com tensões no Oriente Médio

Por Barani Krishnan

Investing.com – O risco geopolítico no comércio de ouro foi mais fervoroso na segunda-feira. As tensões fervorosas no Oriente Médio e os desanimadores dados europeus levaram o metal dourado às máximas de duas semanas.

Os relatórios sugerindo um fraco progresso nas negociações comerciais entre EUA e China também ajudaram os futuros e os preços spot do ouro a avançar fortemente no território de US $ 1.500 por onça.

Os futuros do ouro para entrega em dezembro subiram US$ 16,40, ou 1%, a US$ 1.531,50 por onça na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York. A máxima da sessão foi de US$ 1.534,35, um pico desde 6 de setembro.

O ouro spot, reflexo dos negócios em barras de ouro, subiu US$ 6,94, ou 0,5%, para $ 1.523,71 às 15:58 (horário de Brasília). Anteriormente, atingiu máxima de duas semanas de US$ 1.526,88.

“Em todo lugar que olhamos, temos tensões geopolíticas explodindo, desde o Oriente Médio após os ataques sauditas, até a Europa com seu Brexit sem fim e pontos quentes em outros lugares como Venezuela e Argentina”, disse George Gero, diretor e analista de metais preciosos na RBC Wealth Management.

“O ouro é o refúgio seguro para o qual todos correm em tempos como esses”, acrescentou Gero. “Tudo isso manterá o ouro em uma faixa básica de US $ 1.500- $ 1.550.”

Os preços do petróleo também foram negociados mais altos na sessão da tarde de Nova York, com a expectativa de que a Assembleia-Geral da ONU desta semana pode não produzir nenhum resultado que atenuar as tensões no Oriente Médio.

Em um desenvolvimento surpreendente na segunda-feira, o presidente iraniano Hassan Rouhani disse que vai revelar um plano de paz para a região do Golfo Pérsico no evento das Nações Unidas.

Mas, ao mesmo tempo, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, reiterou sua advertência de que o Irã recorrerá a uma “guerra total” se for alvejado pelos Estados Unidos ou pela Arábia Saudita em resposta aos ataques de 14 de setembro à infraestrutura saudita. Os rebeldes houthis do Iêmen assumiram a responsabilidade pelo ataque, mas os EUA acusaram o Irã, que negou a acusação.

Uma delegação comercial chinesa cancelou abruptamente uma visita na sexta-feira a fazendas dos EUA em Montana, interrompendo sua viagem aos EUA, informou a Reuters. A viagem foi para se preparar para novas negociações entre altos funcionários no próximo mês.

Os investidores esperavam anteriormente um potencial esfriamento das tensões comerciais EUA-China, já que os dois lados se preparavam para negociações. Mas a mudança repentina na viagem reduziu as expectativas dos investidores quanto a um avanço nas negociações.

No início, os índices mensais dos gerentes de compras da IHS Markit sugeriam que a economia da zona do euro estava perto de estagnar no final do terceiro trimestre, quando meses de fraqueza na fabricação começaram a se espalhar para o setor de serviços. A manufatura alemã, um ponto brilhante regional da última década, contraiu-se na maior taxa desde 2009.

Analistas do J.P. Morgan disseram que esperam o preço do ouro a US$ 1.780 até o final do próximo ano, dizendo que o risco de uma recessão ainda não havia sido totalmente precificado.

Parceria

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!