Quais ações comprar agora com a queda do Ibovespa?

SpaceCast - Ouça esta matéria clicando abaixo:

Imagine uma grande promoção na sua loja de roupas favorita. Os preços caíram vertiginosamente e você coloca tudo no seu carrinho. Porém, em casa, ao conferir suas compras, surpresa: no meio de peças boas, aparecem algumas manchadas, outras com tecidos menos nobres… O mesmo pode acontecer se você se empolgar demais na hora de rechear a carteira com as ações baratas no momento.

Desde o início do ano, o Ibovespa caiu 42% com a crise do coronavírus, conforme levantamento do Broadcast, deixando vários papéis a preço de banana. Mas, mais do que aproveitar as pechinchas, o ideal é avaliar cada ação para tomar decisões.

“Você tem que olhar para empresas que não estão no meio da crise”, explica Matheus Soares, analista de ações da Rico Investimentos. “Então agora, o indicador mais importante a se considerar é o endividamento” . Para isso, é essencial avaliar não apenas o setor na qual a companhia se insere, mas o estado do seu caixa e se há dívidas com vencimento próximo.

Sendo assim, na crise, é comum o investidor procurar os ativos que estão sendo negociados abaixo do seu valor patrimonial, que é a divisão entre o patrimônio líquido da empresa e o número de ações no mercado.

Conforme levantamento da plataforma Economatica, 20 das empresas listadas na B3 estavam com preços abaixo do valor patrimonial, até o fechamento de 19/03.

Empresa P/VPA em 19/03/20
Azul S.A. -1,16
Gol -0,29
Eletrobras 0,37
Usiminas 0,39
Eletrobras 0,42
Gerdau Metalúrgica 0,46
Embraer 0,46
Cogna 0,49
Petrobras 0,54
Petrobras 0,55
Gerdau 0,60
BR Malls 0,67
Brasil 0,68
Cemig 0,80
CVC Brasil 0,80
CSN 0,86
Bradespar 0,88
Smiles 0,93
Energias BR 0,97
MRV 0,98
Fonte: Economatica

Apesar de ser um bom medidor do quão barato está um papel, o valor patrimonial, da mesma forma como outros múltiplos, são apenas atalhos para tomada de decisões e não excluem uma avaliação mais profunda, afirma Lucas Taxweiler, especialista em investimentos da Magnetis. 

“Comprar ação é ser sócio”, diz. “Dividend yield, preço sobre lucro… Tudo é indicador de atratividade, mas não diz sobre projeção de lucros ou governança”. Por exemplo: avaliando apenas o valor patrimonial, as líderes do ranking anterior seriam as melhores opções, correto? Errado. Afinal, as companhias áreas enfrentam grandes quedas de demanda com a pandemia, sem previsão de recuperação.

Assim, são os fundamentos das empresas que devem guiar suas compras, indica William Teixeira, sócio da Messem Investimentos. “Isso significa conhecer o perfil do ativo”, diz. “O investidor iniciante, que não tem familiaridade com balanços e análises fundamentalistas, pode começar com informações mais mastigadas no noticiário corporativo”.

Boas pedidas 

“O setor de energia elétrica é historicamente resiliente à volatilidade”, aponta Matheus Soares. Assim, outras empresas que sofreram com o caos e têm potencial de voltar com boa performance são os bancos, completa William Teixeira.

Então, na hora de decidir o que levar no saldão da bolsa, outro aspecto fundamental é o perfil do investidor. “Para clientes mais moderados, nomes fortes de vareijstas, supermercados, por exemplo, podem ser uma opção”, diz o especialista da Messem. 

Leia também: Quer comprar ações baratas por causa do coronavírus? Saiba qual a melhor estratégia

Parceria