Notícias que impactam suas ações e investimentos!

Protestos pelo clima mudam os mercados

Por Geoffrey Smith

Investing.com – Em todo o mundo, manifestantes estão saindo às ruas nesta sexta-feira para instar seus governos a fazer mais para combater as mudanças climáticas.

Você não esperaria que os mercados de ações mostrassem qualquer resposta direta a isso, embora seja possível que o “pacote climático” da Alemanha – que será apresentado em uma conferência de imprensa na sexta-feira em Berlim – possa dar ânimo a algumas empresas locais.

Mas se olhar um pouco mais de perto e você vai poder ver que os processos de pensamento por trás dos protestos já estão mexendo em vários bolsos do mercado. A ascensão do fenômeno do investimento sustentável em todo o mundo só vai acentuar isso no futuro, uma vez que o peso total do dinheiro alocado para o investimento sustentável cobra seu preço.

O mais óbvio, claramente, é o setor automobilístico, que tem tido o pior desempenho do mercado desde que o escândalo da Dieselgate expôs o fracasso das primeiras tentativas europeias de reduzir as emissões de CO2 nos transportes, baseando-se em um combustível que aumentou maciçamente a poluição, com mais efeitos imediatos na saúde pública do que nas mudanças climáticas.

Como resultado disso, as montadoras da Europa encontram-se no meio de uma transformação de vários anos extremamente cara em tecnologia elétrica. Enquanto isso, eles perderam grande parte da enorme vantagem tecnológica que tinham sobre os produtores chineses, que agora estão em uma posição muito melhor para alavancar as tecnologias que desenvolveram para o mercado local no mundo como um todo. Nenhum dos principais OEMs europeus negocia com preços/ganhos múltiplos de mais de 10, por um bom motivo.

Depois, há o setor de companhias aéreas, que está sob crescente vigilância por sua contribuição para o problema de emissões globais (veja o novo imposto da França relacionado a carbono em voos e ruídos da Alemanha, indicando que pode seguir o exemplo).

O estrategista do Deutsche Bank (DE:DBKGn) Ulrich Stephan observa que os preços europeus de CO2 subiram mais de 200% desde o início do ano e podem subir ainda mais – uma das razões pelas quais ele aconselha a não comprá-los (aumento de combustível e custos salariais e pressão de preços impulsionada pela concorrência, sendo outras razões igualmente persuasivas).

Mas há vencedores também. O exemplo mais inspirador é certamente o operador dinamarquês de parque eólico Oersted A/S (CSE:ORSTED), cujo preço das ações mais do que dobrou nos últimos dois anos, uma vez que levou sua experiência nacional para mais e, mais novos mercados principalmente os EUA. Dito isto, caiu 7% este mês devido a preocupações com sua avaliação.

Uma análise do resto do setor de serviços públicos europeu também sugere que ser verde está sendo recompensado de maneira mais consistente nos dias de hoje: os melhores desempenhos além de Orsted são Iberdrola (MC:IBE) e Verbund AG, da Áustria Kat. A (VIE:VERBO), que são predominantemente hidrelétricas e renováveis. Os piores desempenhos são o Centrica (LON:CNA), dominada por gás, e o Electricite de France, baseada pesadamente em termos nucleares (PA:EDF), lutando com os temíveis desafios regulatórios e, no caso da EdF, tecnológicos.

E, para investidores dispostos a aceitar a noção de que “o hardware é difícil”, há também a Vestas Wind Systems A/S da Dinamarca (CSE:VWS) e a Siemens Gamesa (MC:SGREN), que conseguiram defender sua liderança do fabricante de turbinas, apesar da crescente ameaça dos concorrentes asiáticos.

Parceria

Receba notícias diretamente em seu celular ou tablet. Inscreva-se agora!