A partir do momento em que há a mentalidade da educação financeira no dia a dia, fica muito fácil pensar em gastar menos do que ganha e, logicamente, em buscar alternativas de investimento. Pensando nisso, você sabe como investir no Tesouro Direto?

De acordo com dados do Ministério da Economia, o número de pessoas cadastradas no programa do Tesouro Direto chegou a 1.172.771 investidores em janeiro de 2020, dado que representa o quanto a mentalidade do brasileiro tem mudado em relação às finanças. Porém, muitos ainda não fazem ideia que existe uma opção segura para render o dinheiro acima da poupança.

Nesta Spacedica, você compreenderá desde o conceito até o procedimento para investir com consciência nesse título de renda fixa. Acompanhe a leitura e confira!

O que é o Tesouro Direto, afinal de contas?

Em janeiro de 2002, a parceria entre BM&F Bovespa (B3) e o Tesouro Nacional resultou no chamado Tesouro Direto que, desde o princípio, teve a ideia central de tornar democrática a aquisição de títulos públicos. A partir daquele momento, qualquer pessoa física, especialmente os investidores iniciantes, poderiam projetar novas possibilidades de render o dinheiro poupado.

Antes do Tesouro Direto ter o formato que figura hoje, apenas as instituições financeiras tinham o direito de realizar aplicações nesse tipo de ativo, de modo que a mudança teve o propósito de captar recursos também por outras vias. Esse é um dos estímulos de renda fixa que contribui demais com a educação financeira, uma vez que pode servir para a construção de metas em curto, médio e longo prazos.

De maneira geral, investir no Tesouro Direto consiste em emprestar o seu dinheiro ao governo. Como forma de “recompensa” pelo seu empréstimo, existe o rendimento do valor aplicado de acordo com os juros prefixados ou pós-fixados e o período investido.

Quais são as vantagens de investir no Tesouro Direto?

Bem provável que você já tenha ouvido falar que atualmente o rendimento do Tesouro Direto é melhor do que a rentabilidade da poupança, não é verdade? Pois saiba que existem várias outras vantagens que deixam esse título de renda fixa ainda mais atrativo, levando em conta questões como facilidade, baixo custo, segurança, prazos e liquidez.

A praticidade de investir no Tesouro Direto é inegável, afinal, é possível realizar os aportes tanto na web quanto no smartphone, tendo o suporte de um simulador financeiro para você escolher o título que tem a ver com o seu propósito de vida. Dependendo da opção, é possível começar a investir com apenas 30 reais e existem vários prazos que se encaixam como luva nos seus planos.

Mesmo que não seja coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), há a garantia do Tesouro Nacional em relação ao patrimônio investido, ou seja, o risco é ínfimo de você perder o que aplicou. Além disso, em relação a taxas e tributos, várias instituições autorizadas isentam os clientes quanto ao investimento nesse ativo, sendo que os únicos descontos são de impostos e custódia da B3.

Quais são os títulos do Tesouro?

Feita essa primeira explanação a respeito do que é o Tesouro Direto, obviamente você deve estar curioso para saber quais são os títulos disponíveis na plataforma, certo? A seguir, vamos explicar um pouco das 5 opções de investimento nesse ativo, de modo que você compreenda a relevância de cada um deles.

1. Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título de liquidez imediata, ou seja, mesmo que tenha um prazo estipulado, você pode retirar o valor a qualquer momento para compor a sua reserva de emergência. Ele é um título pós-fixado e atrelado à taxa básica de juros, aquela que está a 4,5% e que exerce influência direta na inflação e no consumo do brasileiro.

2. Tesouro IPCA

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é mensurado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e diz respeito à inflação do país. Os títulos pós-fixados e atrelados ao IPCA costumam render acima da inflação, no entanto, ao contrário do Tesouro Selic, o resgate acontece apenas na data de vencimento e tem forte apelo para o planejamento a médio prazo.

3. Tesouro IPCA com juros semestrais

Tendo o mesmo conceito apresentado no tópico anterior, o que faz a diferença nesse caso é o fator preponderante dos juros semestrais.

Basicamente, por serem ativos de longo prazo, o alento que o investidor tem é receber cupons de juros a cada 6 meses em sua conta. Porém, deve-se sempre levar em consideração o imposto regressivo:

Até 180 dias (6 meses) — 22,5%;

De 181 a 360 dias (6 meses a 1 ano) — 20%;

De 361 a 720 dias (1 ano a 1 ano e 6 meses) — 17,5%;

Após 720 dias (acima de 1 ano e 6 meses) — 15%.

4. Tesouro Prefixado

Caso você não queira ficar à mercê das decisões do Copom (Comitê de Políticas Monetárias) em relação à Selic ou da inconstância da inflação, então os títulos prefixados são a melhor saída para o médio prazo. Basicamente, a taxa atrelada já é determinada no início. Isso permite que você desenhe seus planos de ter um carro, casa, aposentadoria e demais aspectos já sabendo quanto renderá o seu dinheiro.

5. Tesouro Prefixado com juros semestrais

Exercendo seu raciocínio lógico, já dá para perceber qual é o conceito aplicado nesse tipo de ativo de renda fixa, não é verdade? Bom, você terá uma taxa de juros predeterminada desde o princípio e receberá os cupons semestrais inerentes ao período contrato. Eles podem ser de 3, 6 ou até 10 anos, conforme a sua necessidade e plano futuro.

Como investir no Tesouro Direto?

Antes de tudo, sua missão é escolher uma corretora de valores para ter acesso ao portal do Tesouro Direto, servindo como ponte entre o seu dinheiro e a aplicação no título. O cadastro é bem intuitivo e pode ser realizado no mesmo dia inclusive, sendo que a senha de acesso ao portal é recebida via e-mail.

De posse da senha, faça a transferência da quantia que deseja aplicar para a instituição escolhida, pois o Tesouro Nacional debitará desse valor. Em seguida, entre na plataforma e clique em “investir” para que visualize as opções de títulos com suas taxas respectivas. Com isso, depois que sua decisão estiver tomada, basta marcar o valor que quer investir e avançar para a próxima tela.

Para finalizarmos, antes de investir no Tesouro Direto, use e abuse do simulador oferecido gratuitamente pela plataforma. Afinal, é uma maneira fácil de prever como será a rentabilidade do período selecionado.

No mais, não abra mão de contar com uma consultoria financeira para obter as melhores estratégias de investimento.

Se você gostou deste miniguia e quer saber detalhes de como podemos facilitar sua vida de investidor, então entre em contato com a gente que explicamos tudo!

  • Simulador Online de Investimentos SPACEMONEY

    Acesse nosso Simulador de Investimento e descubra as melhores aplicações financeiras para o seu bolso e perfil.

    Simulador Online