Mercado a termo e mercado futuro de ações: quais as diferenças?

mercado a termo
SpaceCast - Ouça esta matéria clicando abaixo:

Quem explora há algum tempo as possibilidades do mercado financeiro já deve ter se deparado com termos que designam modalidades diferentes de negociação, que preveem condições específicas para a compra e a venda de ativos entre os investidores. Entre as mais conhecidas dessas opções estão o mercado a termo e o mercado futuro de ações.

É importante entender como esses mercados funcionam, quais as diferenças existentes entre ambos e quais  vantagens são possíveis obter negociando neles. Se você se interessa pelo assunto, prossiga com a leitura desta Spacedica.

Publicidade

O que é o mercado a termo?

O mercado a termo funciona por meio de negociação de contratos vinculados à comercialização de determinada quantidade de um ativo em uma data futura. Podem ser negociados commodities das mais variadas (como café, soja ou boi gordo), ouro, moedas estrangeiras ou mesmo ações.

As negociações nesse tipo de mercado também são chamadas de “compras a prazo com juros”, já que quem compra a termo está não só concordando em fazer a aquisição somente em uma data posterior, como pagar a mais por isso.

Um exemplo torna a compreensão de como funciona o mercado a termo mais fácil. Imagine, por exemplo, dois investidores. Um deles quer negociar as ações da empresa que tem em mãos, enquanto o outro quer justamente vendê-las. A partir disso, eles podem chegar a um acordo sobre o valor e a data futura na qual aqueles papéis serão negociados.

Dessa forma, vamos supor que o vendedor tem em mãos uma ação cujo valor atual no mercado à vista é de R$ 25. No entanto, eles chegam a um acordo para fazer a negociação dessa ação daqui a 90 dias, não pelo preço à vista, mas por R$ 30. Podem ainda ser utilizados indicadores econômicos para determinar qual será o preço a ser pago no vencimento, como a taxa de juros ou a inflação.

Durante a negociação é feito um depósito de garantia com parte do valor total da operação. Quando a data combinada chegar, o comprador efetiva a compra dos papéis e, a partir disso, pode ganhar ou perder com a oscilação do preço das ações no mercado ativo. E o mesmo vale para quem está vendendo.

mercado a termo

Nesse nosso exemplo, se a cotação da ação se valorizar, o comprador levará a melhor, já que ele terá em mãos papéis comprados por um preço menor e poderá revendê-los pela cotação atual mais alta. Por outro lado, se aquelas ações se desvalorizarem no período, quem ganhará com o acordo é o vendedor, pois ele ainda receberá o valor combinado meses antes, quando aqueles papéis valiam mais.

Essa oscilação é justamente o que torna o mercado a termo um local de negociação atrativo para muitos investidores, já que permite tanto a vendedores quanto a compradores obter rendimentos a partir do sobe-e-desce do preço de determinados ativos.

É importante destacar que no mercado a termo é normal que os contratos sejam bastante detalhados e que a negociação não aconteça, necessariamente, na bolsa de valores, o que reduz a transparência. Além disso, a liquidação dos valores do contrato acontece apenas no vencimento. Isso faz com que esse tipo de acordo tenha menor liquidez.

O que é o mercado futuro de ações?

De certa forma, a definição de mercado de futuro de ações é muito similar ao do mercado a termo. Nele, também acontece a negociação de determinado ativo (como ações ou commodities) por um preço combinado no momento do acordo.

Essas operações são, necessariamente, negociadas na bolsa de valores, contam com contratos muito mais padronizados e, por isso, geralmente oferecem mais transparência a ambas as partes da negociação.

No mercado futuro, o preço de todos os contratos é atualizado diariamente, de acordo com as flutuações da economia e do ativo ao qual ele está atrelado. Se isso pode causar mais instabilidades ao investidor, ele possibilita que a liquidez desse tipo de contrato seja maior, tanto por compradores quanto por vendedores interessados em se desfazer de suas posições.

Quais as diferenças entre o mercado a termo e o mercado futuro?

Ainda que tenham definições parecidas, o mercado a termo e o mercado futuro de ações têm particularidades que os diferenciam, como você já deve ter percebido com uma leitura atenta até aqui.

A principal e mais notória dessas diferenças, que resulta em consequências práticas na hora de investir, está no momento em que a movimentação financeira efetivamente acontece. No mercado a termo, ela só se concretiza no momento da liquidação, enquanto no mercado futuro são feitos ajustes diariamente.

Com isso, no mercado futuro, os contratos são ajustados todos os dias. Isso faz com que tanto as perdas quantos os ganhos sejam realizados a partir das diferenças da cotação dos ativos naquele período.

Dessa forma, o mercado futuro quase sempre gera mais movimentações devido ao ajustes diários, o que eleva os custos de se investir nele. Por outro lado, sua liquidez é bem maior quando comparado ao mercado a termo.

Quais são as vantagens de cada uma dessas modalidades?

Tanto o mercado a termo quanto o mercado futuro permitem que os investidores se protejam de oscilação no preço dos ativos e invistam com mais dinheiro do que realmente dispõem.

Essa proteção é feita pelas chamadas operações de hedge. Nela, investidores se protegem da queda da cotação de um ativo estabelecendo contratos no mercado a termo ou no mercado futuro com um preço predefinido.

É algo feito com frequência por produtores agrícolas, sujeitos à desvalorização do seu produto. É realizado também por empresas que dependem muito da cotação razoável de moedas estrangeiras. Existem também fundos de investimento baseados em estratégia de hedge.

A outra vantagem é a possibilidade de alavancagem, que é ainda maior no mercado futuro. Essa ferramenta permite que os investidores obtenham bons ganhos investindo um capital muito maior do que o efetivamente disponível, em contratos que superam em muito o dinheiro em conta. Para isso, é necessário ter uma margem de garantia para cobrir eventuais prejuízos. Também é necessário assumir os riscos desse tipo de estratégia, que são naturalmente mais altos.

Tanto o mercado a termo quanto o mercado futuro oferecem boas oportunidades para os investidores interessados em diversificar suas aplicações e ter mais chances de obter uma boa rentabilidade. De todo modo, é sempre importante considerar seu perfil e tomar cuidado para não se expor a riscos desnecessários. Além também de avaliar a liquidez dos contratos negociados em cada um dos mercados.

Quer que mais pessoas se informem sobre esse assunto? Então ajude-as compartilhando este texto nas suas redes sociais agora mesmo.